segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Operação Lava Jato no radar dos investidores

Investidores estrangeiros iniciam a semana comprados em 108.923 contratos de índice futuro.

A interpretação deles em relação as denúncias de corrupção na Petrobras, que pode não se limitar à empresa, será essencial para o rumo do IBOV no curto e médio prazos, pois eles podem entender que a operação Lava Jato é um divisor de águas no sentido positivo, com maior austeridade e governança corporativa, ou então que o Brasil, uma vez afundado em denúncias e ingerências poderá perder o foco e a mão na busca pelas metas fiscais e estabilidade política.

PF agora vai investigar corrupção no setor elétrico.

Na agenda do dia teremos nos EUA produção industrial e capacidade utilizada às 12h15 e a balanço comercial no Brasil às 15h00.

Os balanços corporativos estão chegando à sua etapa final.

Apenas empresas têm data a definir, como Petrobras, por exemplo, ainda não divulgaram seus números.

Os resultados programados foram finalizados sexta-feira.

presidenta Dilma deverá divulgar a sua equipe econômica essa semana, após participação no G20.

Dados japoneses (PIB) abalam bolsas européias, que trabalham com desvalorização.

Vale lembrar que o Nikkei bateu máximas históricas sucessivas recentemente.

Preço do minério de ferro atingiu nova mínima, US$ 75,1/Ton.

Gráfico diário do míni-índice futuro contrato WINZ14, mostra que o ativo buscou a retração de 38,2% de Fibonacci, o que configura uma correção técnica.

Sinaliza que marcou fundo na região e que teremos um repique até 53.685, onde vai decidir o seu rumo no curto prazo.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário