terça-feira, 30 de setembro de 2014

Gráfico diário do Dow Jones chama a atenção

corrida eleitoral predomina sobre demais variáveis econômicas no momento, sendo o principal vetor de compras e vendas no Brasil.

Porém fatores externos, como o PMI final chinês medido pelo HSBC em 50,2 impacta siderúrgicas e mineradoras em cheio, mesmo com a alta do dólar, que teoricamente seria benéfica para essas empresas.

Na China, o minério de ferro renovou novamente a sua mínima em 5 anos, fechando cotado a US$ 77,5 a tonelada.

Num futuro próximo, esses papéis estarão em pontos interessantes para compras, “baratos” se levarmos em conta a assimetria (perdas calculadas e enormes chances de ganhos), porém nesse momento é viés é de queda.

Na Europa, possíveis medidas de estímulos econômicos pelo BCE animaram as bolsas locais, que trabalham majoritariamente em alta.

Taxa de desemprego na zona do Euro ficou estável em 11,5% em agosto, em linha com as previsões.

Agência Moody’s afirma que há crise de confiança com o Brasil e deixa claro que prefere Marina a Dilma.

Abaixo segue o gráfico diário do Dow Jones, que parece desenhar, assim como no Brasil, uma figura de reversão denominada ombro-cabeça-ombro (OCO).

Nesse momento estaria desenhando possível segundo ombro.

O ponto que confirmaria a figura é 16.935 (reta pescoço).


Wagner Caetano
Cartezyan

Despedida de setembro, um dos meses mais voláteis da história recente do IBOV

O pregão de hoje marca o adeus a setembro de 2014, um dos meses mais voláteis dos últimos tempos, com oscilações históricas.

market mover principal sem dúvida foi a corrida eleitoral, na disputas mais equilibrada, pelo menos é o que indicam as pesquisas, após o período militar.

Tivemos com coadjuvantes a economia chinesaconflitos geopolíticos e a tensão sobre quando o FED vai iniciar a subida de juros nos Estados Unidos.

Ontem os investidores estrangeiros atuaram na venda, diminuindo a posição comprada em 2.281 contratos de índice futuro, para 69.692.

Para a grandeza da queda que tivemos até que não venderam muito, o que mostra que parte do movimento foi caudada por players internos, que sempre exageram na dose seja na compra ou na venda.

Banco Central vive um dilema: diante da escalada no dólar no exterior, ele continua atuando na venda do moeda, queimando caixa, porém sem conseguir evitar que o dólar se valorize ante ao real.

Dificilmente a moeda vai ceder por aqui antes de testar 2.508,500.

Expectativa por estímulos na Europa alimentam bolsas locais.

Nos EUA o mercado aguarda o ISM, índice de atividade industrial programado para às 10h45 e o índice de sentimento do consumidor às 11h.

Ibovespa com cara de repique para hoje, o desafio é saber até onde.

O movimento mais técnico seria um pullback em 55.250 para cair de novo depois.

Porém temos vendedores sedentos em livros de ofertas de ações com peso no índice e a pesquisa Vox Populi de ontem mostrou, assim como o Datafolha, a presidenta Dilma como favorita para disputa presidencial.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Sangue na tela

Mercados globais sentem sinais negativos vindos da China e Hong Kong.

Somam-se a isso bolsas infladas e tensões geopolíticas no Iraque e Ucrânia.

No Brasil, reação concreta da presidenta Dilma marcou um dia histórico para o mercado financeiro doméstico, um dos maiores gaps de baixa de todos os tempos.

nível de stress nas negociações no Brasil é um dos mais altos registrados nos últimos anos, com altíssimo grau de volatilidade.

Até as eleições em primeiro turno no domingo teremos fortes emoções.

Observando o gráfico do Ibovespa, enquanto abaixo de 55.250 o mercado estará vendido.

Foi esse ponto que impulsionou os negócios logo após o acidente com o candidato Eduardo Campos, quando o mercado começou a precificar uma maior chance de vitória da oposição.


Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Vox Populi, Datafolha e PIB dos EUA no radar

Europa e futuros americanos em leve alta, repicando a baixa relevante de ontem.

Boatos de que a Rússia poderia reter investimentos estrangeiros foram mal digeridos mundo afora.

Como resultado tivemos alta do dólar frente a maioria das moedas.

No Brasil, expectativa pela pesquisa Datafolha para a corrida presidencial, que poderá ser divulgada a qualquer momento gera forte volatilidade, com variações extremas nas cotações em questão de minutos.

nervosismo aumenta conforme se aproxima o dia das eleições.

Investidores estrangeiros atuaram na venda ontem no mercado doméstico, diminuindo o saldo comprado no índice futuro de 72.136 para 69.753 contratos.

Minério de ferro fechou estável cotado a US$ 78,6 a tonelada na China.

Leilões do BC não forma suficientes, mais uma vez, para derrubar o dólar.

Quando ocorrem as vendas a moeda sente, mas quando terminam o dólar volta com mais agressividade.

Pelos gráficos o objetivo é 2.508,500 para o curto prazo.

PIB americano veio em linha com as expectativas, crescendo 4,6% à taxa anualizada no segundo trimestre.

Olhando o gráfico diário do Ibovespa, os compradores armaram uma trincheira ao redor de 56.000.

As mínimas de todos os pregões dessa semana foram na região.

Como as máximas de segunda-feira para cá sempre sucessivamente mais baixas, a tendência é a penetração da região e continuidade da queda rumo a 55.250.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Dólar forte e metais em baixa

Bolsas no velho continente e futuros americanos operam sem direção única nessa manhã.

Dólar forte no exterior impulsiona a moeda no Brasil, mesmo com leilões ofertados há pouco pelo BC.

Acima de 2.402,500 a moeda tem caminho livre para valorização, com potencial para bater na porta dos 2.508,500.

Minério de ferro voltou a cair na China, fechando cotado a US$ 78,6, baixa de 1%.
Isso certamente vai impactar ações de mineração e siderurgia no Brasil, negativamente.

Cobre para dezembro tem baixa de 0,92% na Comex.

Nos EUA, encomendas de bens duráveis caíram 18,2% em agosto, previsão – 17,5%.

Os pedidos de auxílio desemprego subiram para 293 mil, previsão de 296 mil.

No Brasil, pesquisa Datafolha para a corrida presidencial poderá ser divulgada ainda hoje, porém é mais provável que seja divulgada amanhã.

Abaixo segue o contrato do míni-dólar, código WDOV14.


Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Pesquisas eleitorais agitam o pregão

Pesquisa eleitoral para a corrida presidencial dita o ritmo dos negócios na manhã dessa terça-feira.

CNT/MDA revelou que para 51,2% dos entrevistados a presidenta Dilma Roussef vencerá as eleições.

A avaliação positiva do governo Dilma oscilou de 37,5% para 37,4%.

Dilma oscilou de 38,1% para 36,%, Marina tem 27,4% e Aécio 17,6%.

Num segundo turno, Dilma teria 42% contra 41% de Marina.

No exterior, bolsas européias e futuros americanos trabalham em baixa.

Na China, o minério de ferro voltou a cair, fechando cotado a US$ 79,4 a tonelada, o que levou o Credit Suisse a cortar o preço alvo da ADR da Vale de US$ 15 para US$ 12,5.

Pesquisa Vox Populi prevista para ontem poderá sair hoje a qualquer momento.
Míni-índice futuro perdeu ontem a LTA (linha de tendência de alta) em fechamento, o que acende uma luz amarela para os comprados.

Uma consolidação e novo fechamento hoje abaixo de 56.985, mínima da semana passada, selaria o domínio vendedor de curtíssimo prazo e projeta 55.590 ainda para essa semana.



Bons negócios.

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

China, minério de ferro e expectativa por pesquisas eleitorais derrubam Ibovespa

Investidores estrangeiros iniciam a semana comprados em 69.557 contratos de índice futuro.

A movimentação nessa posição, assim como a inclinação do dólar e o fluxo cambial que será divulgado na quarta-feira às 12h30 serão importantes sinais para o curto prazo.

minério de ferro penetrou o patamar de US$ 80/ton e atingiu 79,8/ton, queda de 2,33%, renovando a sua mínima em 5 anos.

O metal acumula perdas de 41% em 2014.

Cobre recua 1,67% na Comex.

Declarações do ministro das finanças da China, Lou Jiwei, de que o país não deve fazer grandes ajustes na política econômica esse ano aumentou a aversão ao risco mundo afora.

Expectativa por diversas pesquisas eleitorais para a corrida presidencial aumentam a volatilidade no mercado local.

gráfico diário do Ibovespa mostra força vendedora no curtíssimo prazo, com perda da LTA tracejada e confirmação de um pivot de baixa nesse momento.

Um fechamento abaixo de 56.666 indicaria uma reversão técnica para venda no curto prazo (tendência primária).


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Dilma abre vantagem sobre Marina no primeiro turno

Escócia vai permanecer fazendo parte do Reino Unido.

sim venceu e as bolsas européias reagem indo às compras.

Nos Estados Unidos, após romperem as suas máximas históricas no pregão de ontem, os futuros americanos operam em alta.

Por lá teremos a divulgação do Leading indicators às 11h.

Dólar forte pressiona o petróleo que opera em leve desvalorização, enquanto o minério de ferro fechou em queda de 1,6% na China, cotado a US$ 81,7 a tonelada, renovando a mínima em 5 anos.

No Brasil, pesquisa Datafolha mostrou crescimento da presidenta Dilma na corrida presidencial, com aumento de 36% para 37% das intenções de voto no primeiro turno, com queda de Marina Silva de 33% para 30%.

Em uma simulação de segundo turno, a vantagem da candidata do PSB, que já chegou a 10 pontos em agosto e bateu 4 pontos semana passada, agora é de apenas 2 pontos, 46% a 44%.

Chama a atenção a rejeição da candidata Marina, que ultrapassou Aécio e registrou 22%.

A disputa para a presidência da República está em aberto.

índice futuro reage com aversão nesse início de pregão.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Empresas exportadoras surfam a onda de valorização do dólar, enquanto estatais e setor financeiro trabalham na defensiva antes da pesquisa Datafolha prevista para hoje. Os ativos fazem parte do IBOV.







Wagner Caetano
Cartezyan

Referendo na Escócia e Datafolha são os assuntos do dia

Europa e Estados Unidos em alta.

Comunicado do FED foi bem digerido pelo mercado, pelo menos por enquanto.

Referendo na Escócia sobra a independência do Reino Unido é o assunto do dia no velho continente e a disputa deverá ser voto a voto.

Uma vitória do sim poderá abrir precedentes para países como Bélgica e Espanha.

Petróleo e metais trabalham em queda.

minério de ferro caiu na China para US$ 83 a tonelada, queda de 1,4%, após dados fracos do setor imobiliário chinês.

Vale lembrar que a máxima do ano foi marcado em janeiro quanto o metal tocou US$ 135 a tonelada e o piso semana passada, negociado a US$ 81,9 na China.

A influência é direta nas ações da Vale, Gerdau, CSN e Uniminas.

Na agenda do dia teremos nos EUA dados da construção às 9h30 e índice de atividade do FED da Filadélfia às 11h.

No Brasil, expectativa pela pesquisa Datafolha, que poderá ser divulgada a partir de hoje.

Abaixo temos o gráfico diário do míni-dólar futuro contrato WDOV14, que rompeu um pivot de alta ontem e hoje está acima de 2.367, ponto capaz de impulsionar a moeda até 2.403 no curtíssimo prazo.

Vale citar que os investidores estrangeiros iniciaram a semana comprados em 83.418 contratos de índice futuro e hoje abrem o pregão com saldo comprado de 69.195, corroborando com a alta do dólar.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Dia de FED

Ontem o mercado doméstico viveu um rali, com investidores indo às compras com base em especulações eleitorais, principal “market mover” desde meados de março.

pesquisa Ibope mostrou reação do candidato Aécio Neves subindo de 15% para 19% das intenções de voto e empate técnico entre Dilma e Marina Silva no segundo turno.

Amanhã haverá pesquisa Datafolha.

Na agenda do dia teremos índices de preço ao consumidor nos EUA às 9h30 e a decisão do FED sobre a política de juros nos Estados Unidos às 15h.

No Brasil , o destaque ficará por conta do fluxo cambial às 12h30.

Metais básico em queda.

Gráfico diário do Ibovespa mostrou entrada de força vendedora no final do pregão, deixando longa sombra superior.

O padrão sugere correção para os próximos pregões, o que seria confirmado na perda de 58.140 com alvo imediato em 56.666.


Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Pesquisas eleitorais e FED ditam o ritmo dos próximos pregões

Pesquisa Vox Populi para a corrida presidencial mostra crescimento da presidenta Dilma no primeiro turno e empate técnico no segundo.

Essa noite haverá pesquisa Ibope e Datafolha a partir de quinta-feira poderá ser divulgada.

Os números corroboram com a expectativa de um segundo turno apertado e disputado voto a voto.

Na Europa, as bolsas trabalham com viés de baixa nesse momento, precificando o índice ZEW de expectativas na Alemanha, que caiu para 6,9, previsão de 5.

Pesam por lá ainda a crise na Ucrânia e a possível separação da Escócia do Reino Unido.

Na agenda do dia, teremos o índice de preços ao produtor nos Estados Unidos.

Por lá começa hoje a reunião do FED, aguardada com grande expectativa pelo mercado, em busca de sinalização sobre quando vai começar o ciclo de juros na maior economia do mundo.

Ibovespa teve ontem um dia de reação.

resistência em 58.140 será um divisor de águas.

Abaixo desse ponto, onde também está a média móvel exponencial de 5 períodos, a alta poderá ser considerada apenas um repique.

Porém se esse ponto for rompido, poderemos ter teste de 59.000.



Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Análise feita pelo Wagner Caetano, publicada no Infomoney - 12/09/2014.

3 motivos para acreditar em mais quedas na Bolsa - e quais ações vale comprar.

São Paulo - De acordo com Wagner Caetano, diretor do Cartezyan e há 8 anos operador profissional, o movimento negativo deve continuar nos próximos dias. 

Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/analise-tecnica/noticia/3576454/motivos-para-acreditar-mais-quedas-bolsa-quais-acoes-vale-comprar

Ressaca

Após a violenta queda de sexta-feira, investidores digerem o atual momento do Ibovespa.

Sell Off no mercado de ações e disparada do dólar, esse foi o efeito prático das pesquisas eleitorais da semana passada.

Europa e futuros americanos operam em baixa, assim como os metais.

Hoje o cenário continua adverso por causa da China.

produção industrial no país teve em agosto o menor aumento anual desde dezembro de 2008, de 6,9%.

A previsão dos analistas era de acréscimo de 8,7%.

No Brasil, o relatório Focus apontou novo decréscimo para o PIB, dessa vez de 0,48% para 0,33% em 2014.

Na agenda do dia teremos a produção industrial e capacidade instalada nos EUA às 10h15 e a balanço comercial no Brasil às 14h.

Investidores estrangeiros iniciam a semana comprados em 83.418 contratos de índice futuro.

A movimentação nos contratos, assim como o fluxo cambial que será divulgado na quarta-feira serão pistas importantes sobre a continuidade do movimento de baixa.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Pesquisas eleitorais

Pesquisas eleitorais que mostraram o poder de reação da presidenta Dilma praticamente selam um segundo turno para a corrida presidencial e, detalhe, que será disputado voto a voto.

Abaixo percebemos forte baixa das empresas estatais e mais sensíveis ao Ibov (maior Beta), com destaque para BB Seguridade, Banco do Brasil e Petrobras.

Na ponta de compra, empresas beneficiadas pela disparada do dólar sobem firme: 

Fibria, Suzano, Embraer e Braskem, por exemplo.






Wagner Caetano

Cartezyan


Contagem regressiva para a pesquisa Ibope


Na Europa, a produção industrial subiu 1% em julho/junho, previsão + 0,6%.

Na comparação entre julho/julho13 houve aumento de 2,2%, previsão de + 1,5%.

Crise na Ucrânia e referendo na Escócia contém as bolsas européias, que trabalham sem direção única.

Na China, o minério de ferro fechou a semana cotado a US$ 82 a tonelada, baixa de 1,9% no período.

Em 2014 acumula desvalorização de 39,2%.

O valor mais alto anotado em 2014 foi no início de janeiro quando bateu US$ 135 a tonelada.

dólar segue a sua trajetória altista e acumula 2,68% de valorização na semana às 9h30 dessa sexta-feira, refletindo o fluxo cambial negativo acumulado de quase US$ 5 BI nas últimas duas semanas.

Na agenda do dia teremos o Michigan Sentiment nos EUA às 10h55 e Business Inventories às 11h00.

No Brasil, existe uma pesquisa Ibope agendada para às 10h00 sobre a corrida presidencial.

Logo abaixo temos uma análise do míni-índice futuro contrato WINV14.

Percebemos que ele fechou abaixo de 59.160, o que indica pressão vendedora, após fazer máxima do dia ontem em 59.400.

Nesse momento está testando uma LTA (linha de tendência de alta) de que vem sustentando o contrato desde o fundo marcado em março desse ano.

A perda da mesma indicaria uma reversão de tendência de curto prazo, com o primeiro objetivo em 57.300, mas com potencial de buscar 55.590.



Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Análise feita pelo Wagner Caetano, diretor do Terminal Cartezyan, publicada no Infomoney.

Ibovespa alcança importante barreira dos 58 mil pontos; vem mais quedas pela frente? 

Segundo Wagner Caetano, um fechamento consistente do índice hoje abaixo dos 58.150 pontos abriria espaço para mais quedas, projetando como próximo alvo de curto prazo os 55.250 pontos.
No entanto, se neste pregão houver uma reação compradora, o Ibovespa poderá ter marcado ontem um fundo naquela região e retomar a força compradora. "hoje teremos um pregão importante e definitivo para os próximos dias", disse.




Confira a matéria na íntegra.

Ibovespa em ponto de definição

Treze anos após o ataque às torres gêmeas, as bolsas norte-americanas vivem tempos de recuperação econômica e máximas históricas.

Pedidos de auxílio desemprego subiram para 315 mil nos EUA, previsão de 300 mil.

Futuros americanos operam em queda de cerca de 0,3% às 9h30.

Dados de inflação chineses impactaram negativamente a bolsa local e nas negociações com metais mundo afora.

Destaque especial para o cobre que opera em queda de 1,4% na Comex e para o minério de ferro, cotado a US$ 81,9 a tonelada, queda de 0,4%.

No Brasil, investidores irão precificar a pesquisa Datafolha para a corrida presidencial divulgada ontem no Jornal Nacional e a Ata do Copom conhecida mais cedo.

Observando o gráfico diário do Ibovespa, interpretamos que o benchmark está em ponto de definição por duas razões: tocou ontem uma LTA (linha de tendência de alta), que para muitos precisa ser perdida para indicar tecnicamente uma reversão de tendência e ainda fechou sobre o topo anterior, região de 58.140.

Perda de topo anterior é utilizada por alguns investidores para rever posições compradas.

Somando-se as duas leituras, podemos afirmar que o pregão de hoje será importante para sinalizar o rumo do IBOV no curto prazo, pois se mostrar reação compradora tão próximo a suportes importantes poderá indicar a retomada do domínio dos touros.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan