segunda-feira, 30 de junho de 2014

Posição dos estrangeiros em IND na BM&F


Passaremos a publicar aqui no Cenário a posição das instituições e investidores estrangeiros em IND na BM&F (*).

O gráfico mostra o números de Contratos em Aberto em posição comprada (histograma amarelo), em posição vendida (histograma verde) e o saldo (em azul).




A posição de hoje é pouco inferior à de ontem e bem próxima à máxima do mês, da ordem 90.000 a 95.000 contratos vendidos.

(*) duas observações importantes: (1) estamos dando destaque ao SALDO de posições compradas e vendidas, como um "resultado" das opiniões estrangeiras; (2) estamos somando as posições em WIN, naturalmente respeitando a proporção 5:1.

clique na figura para ampliar

Diversos indicadores econômicos divulgados no último pregão do semestre


No último pregão do semestre bolsas mundiais ensaiam uma sessão de desvalorização.

Vendas no varejo na Alemanha, que caíram 0,6% em maio/abril e dados de inflação na Zona do Euro não empolgam os compradores no velho continente.

Na China, atenções voltadas para o PMI do setor manufatureiro que será divulgado hoje de noite.

Relatório Focus divulgado essa manhã, rebaixou para 5° vez a projeção do PIB no Brasil, de 1,16% para 1,10% em 2014.

Mercado reagiu com vendas.

Eletropaulo foi rebaixada pala Fitch e Santander pelo Credit Suisse.

Nos Estados Unidos, o índice da atividade industrial de Chicago medido pelo ISM caiu a 62,6 em junho, previsão 62,9.

Mercado norte-americano opera próximo a estabilidade.

gráfico diário do Ibovespa mostra um mercado em tendência de baixa, que cruzou as médias móveis para venda.

Repiques serão oportunidades de venda e realização de lucros de quem segura posição comprada.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Ibovespa em ponto decisivo


Bolsas asiáticas fecharam em baixa.

Na Europa e futuros americanos o viés de venda prevalece, com algumas bolsas ensaiando repique.

Mercados precificando PIB da países da Zona do Euro essa manhã.

No Brasil, dados fiscais do governo no radar, com fundamentos cada vez mais deteriorados.

Em uma agenda do dia modesta, destaque para o Michigan Sentiment nos Estados Unidos às 10h55.

Ibovespa fechou ontem em uma região importante de suporte, um topo marcado em abril desse ano próximo a 53.400.

Um repique até 54.000 é um cenário possível, porém uma sessão de baixa hoje sinaliza queda à vista para a próxima semana.





Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Bolsas ensaiam recuperação


Minério de ferro continua recuperação e pode elevar a cotação das ações da Vale nesse pregão.

Europa e futuros americanos em leve alta.

Agência Moody’s rebaixou a projeção de crescimento do Brasil de 1,8% para 1,3% para 2014 e de 2% para 1,5% em 2015.

No Brasil Banco Central previu no relatório trimestral de inflação (RTI) uma desaceleração das previsões de crescimento de todos os setores da economia em 2014.

Nos EUA destaque para os pedidos de auxílio desemprego, que caíram para 312 mil, previsão de 310 mil, renda pessoal que subiu 0,4% em maio, como esperado, gastos pessoal que subiram 0,2% em maio, previsão de +0,4% e núcleo do PCE, uma das medidas de inflação preferidas pelo FED, que subiu 0,2% em maio ante abril.

Para essa sessão, esperamos no Brasil um dia de repique, após a forte baixa de ontem, talvez até a região próxima de 54.000.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Iraque e PIB americano no radar


BC vai estender os leilões de swap cambial até o fim do ano.

Isso deverá pressionar o dólar pelo menos na primeira parte do pregão, daí até o fechamento veremos se já estava precificado ou se pegou os players de surpresa.

Os países em desenvolvimento registraram aumento do fluxo de investimento direto (IED) em ritmo menos intenso que o observado nas economias maduras em 2013.

Na China, o sentimento do consumidor (MNI)caiu para 112,6 em junh0 menor nível desde julho de 2013.

Na Alemanha, o índice GFK de confiança do consumidor para julho avançou para 8,9, previsão 8,5.

Nos Estados Unidos, encomendas de bens duráveis caíram 1,0% em maio, previsão de estabilidade e o núcleo do índice de preços do PCE subiu 1,2% no 1° trimestre e o PIB foi revisado para -2,9%, de -1% e previsão de -2% no 1°TRI/2014.

Iraque continua no radar dos investidores.

No Brasil, desdobramentos em relação à Petrobras (Pré-Sal) deverão trazer volatilidade extra ao pregão.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 24 de junho de 2014

Bolsas européias e futuros norte-americanos com viés de baixa nessa terça-feira.

Na Alemanha, o índice IFO de sentimento das empresas caiu a 109,7 em junho, previsão 110,2.

Na agenda do dia, destaque para a confiança do consumidor e vendas de moradias novas que saem às 11h.

Observando o gráfico diário do Ibovespa, percebemos uma forte região de suporte entre 54.050 e 54.450.

Se a mesma for perdida em fechamento, teremos forte sinal de queda para o curto prazo.

Porém o mais provável para hoje é um repique.



Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Pregão mais curto movido pelos índices industriais

Em mais um pregão curto devido ao jogo do Brasil, deveremos ter o Ibovespa trabalhando com volume e volatilidade um pouco menores que a média.

Europa em baixa generalizada, fruto de PMIs decepcionantes na região.

Na China, o PMI industrial (HSBC) subiu para 50,8 em junho, de 49,4 em maio.

Mineradoras foram afetadas positivamente mundo afora e o JP Morgan revisou a previsão do PIB chinês no 2° TRI para 7,2% de 6,8% após esse dado.

Nos Estados Unidos, futuros trabalham de forma lateral, esperando a PMI industrial às 10h45.

No Brasil teremos a balança comercial às 15h.

O mercado doméstico fechará mais cedo hoje, às 14h30, devido do jogo entre Brasil x Camarões pela Copa do Mundo.

Observando o gráfico diário do míni-índice futuro, contrato WINQ14, percebemos sinais de cansaço na compra e um OCO (ombro-cabeça-ombro), figura de reversão, ainda em formação, o que deve trazer cautela aos comprados.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Iraque no radar dos investidores


Crescente violência no Iraque coloca as bolsas mundiais na defensiva.

Apesar de não seguirem uma tendência de baixa definida, prevalece um leve viés de venda nas bolsas mundo afora.

Na Zona do Euro, o superávit em conta corrente subiu para 21,5 bilhões de euros em abril.

Na China, expectativa para dados do setor manufatureiro no domingo à noite.

No mercado doméstico, com a queda das ADRs ontem nos Estados Unidos o mercado abriu pressionado.

Veremos ao longo do dia como será precificada a pesquisa Ibope para a corrida presidencial.

Observando o gráfico do Ibovespa, percebemos que ele está entre a cruz e a espada, pois se romper 55.300 monta um pivot de alta e continua a escalada rumo a 55.900, por outro lado, se mostrar fraqueza e recuar, poderá sinalizar um topo duplo no gráfico diário.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Vencimento do índice futuro e véspera de feriado agitam o pregão

Europa e futuros americanos trabalhando em direções mistas essa manhã.

Na agenda do dia destaque para os estoques de petróleo nos EUA às 11h30 e para o fluxo cambial no Brasil às 12h30.

Além desses dados, grande expectativa para a decisão do Banco Central americano (FED) sobre a política monetária do país às 15h.

Crise no Iraque e Ucrânia permanecem no radar dos investidores.

Na China, o índice MNI de sentimento das empresas subiu a 55 em junho, de 53,7 em maio e o setor imobiliário registrou em maio a primeira queda mensal dos preços em 2 anos.

gráfico diário do Ibovespa mostra o mercado doméstico em ponto decisivo no gráfico, a região entre 54.200 e 54.500.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Vencimento de Opções agita o pregão

Bolsas européias fecharam em baixa.

Nos Estados Unidos o fechamento é lateral.

Tensões no Iraque e Ucrânia pesaram e levaram a uma alta firme do dólar, apesar de modesta.

Dados da balança comercial não animaram os investidores no Brasil, sendo que o déficit comercial acumulado no ano soma US$ 3,292 bilhões.

Segundo a CNI, a confiança do empresário em junho é a mais baixa desde 2009.

O gráfico do míni-índice futuro, que vencerá na próxima quarta-feira, mostra um OCO em desenvolvimento, lembrando que trata-se de uma figura de reversão.





Wagner Caetano

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Tudo vermelho mundo afora

Bolsas na Europa e Estados Unidos trabalhando em baixa importante.

No Brasil, temos queda no emprego industrial, que caiu 2,2% em abril ante abril de 2013.

O fato que move o mercado doméstico continua sendo as especulações eleitorais, a cada pesquisa divulgada.

Ontem foi a pesquisa Ibope e hoje pela manhã a Vox Populi.

O catalisador no exterior para as vendas generalizadas foi o corte das previsões do Banco Mundial para o crescimento econômico mundial, incluindo Estados Unidos e países emergentes como o Brasil.

Veremos ao longo do dia como os investidores irão reagir no Brasil, especialmente após o fluxo financeiro que será divulgado às 12h30.

Observando o gráfico diário do Ibovespa a seguir, notamos que ontem rompeu o importante e decisivo 54.500, na verdade trata-se de uma região com pontos muito relevantes: 54.320, 54.460 e 54.530.

Acima dessa região a força compradora será predominante e a região funcionará como suporte, pela inversão de polaridade da análise técnica.

Na perda da mesma, o rompimento terá sido falso e a venda vai se fortalecer.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 10 de junho de 2014

Bolsas internacionais patinando nessa terça-feira

No Brasil, temos correção após dois dias de forte alta, quando a bolsa subiu em dois dias o que demorou quase um mês para cair.

A questão é se a alta é somente um repique para a formação da comentada figura OCO (ombro-cabeça-ombro) desenhada no gráfico do míni-índice futuro ou compra firme, oportunidade para entrada de investidores otimistas com uma possível mudança no cenário político do Brasil.

Na imagem abaixo podemos observar profundo equilíbrio entre compradores e vendedores, uma vez que temos praticamente o mesmo números de ações subindo ou caindo 1% e assim sucessivamente.

Wagner Caetano
Cartezyan

China dita o ritmo novamente, e as pesquisas eleitorais?


PPI chinês caiu 1,4% em maio ante maio de 2013, previsão de – 1,5%.

CPI chinês subiu 2,5% em maio ante maio de 2013, previsão + 2,5%.

Nada que traga euforia às bolsas européias, futuros americanos e metais.

Nos EUA conheceremos os números dos estoques de atacado e relatório sobre emprego às 11h.

Ainda nos Estados Unidos, o otimismo das pequenas empresas subiu para 96,6 em maio e atingiu o maior nível desde setembro de 2007.

As bolsas norte-americanas refletem, trabalhando na máxima histórica, melhorias e bons fundamentos da economia, diferente do Brasil onde o cenário é puramente especulativo.

Pesquisas eleitorais, sejam nacionais ou locais, são, juntamente com o fluxo externo, o motor do Ibovespa.

Nosso benchmark está num ponto decisivo: a região compreendida entre 54.300 e 54.500 pontos.

Se romper e fechar acima desse valor, terá grande espaço para subir, com alvo imediato em 55.900 e depois 56.750, a máxima do ano.

Por outro lado, se mostrar fraqueza e começar a ceder, poderá marcar um topo duplo no gráfico, abrindo oportunidade de venda, com suportes em 53.400 e 51.995.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 9 de junho de 2014

O Ibovespa seguirá o exterior ou os indicadores internos?


Superávit chinês e PIB japonês animam as bolsas mundo afora.

Parte dessa alta na Europa e Ásia ficou por conta do relatório de emprego norte-americano.

Por outro lado, economistas cortam projeção do PIB e projetam aumento do IPCA para 2015, no relatório Focus divulgado há pouco.

Na agenda do dia destaque para a balanço comercial no Brasil às 15h.

Bolsas americanas nas máximas históricas devem ser observadas de perto.
gráfico do Ibovespa mostra uma possível figura de baixa em formação, chamada OCO (ombro-cabeça-ombro).

patamar atual seria o segundo ombro.


Bons negócios.


Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Alta generalizada mundo afora, Ibovespa cola ou descola?


Bolsas mundiais em alta.

Vale lembrar que as bolsas norte americanos estão próximas de suas máximas históricas.

Bom humor é por cauda do BCE (Banco Central Europeu), que reduziu previsão do PIB e inflação na Zona do Euro para esse ano.

O catalisador na verdade foi o corte de juros anunciado, considerado medidas de estímulo.

indicador de auxílio desemprego nos EUA ajudam a manter as bolsas locais em alta, uma vez que a média móvel de pedidos feitos em quatro semanas caiu a 310.250, o menor nível desde junho de 2007.

A questão é de como o mercado vai interpretar esse dado.

Discursos de Mario Draghi e Guido Mantega sendo digeridos pelo mercado.

Quanto ao Ibovespa, a questão é se vai colar nas bolsas internacionais ou trabalhar com expectativas das eleições e fatores internos, além das questões ligadas à China que atingem diretamente o Brasil, pelo peso das commodities na nossa bolsa.

Enquanto abaixo da média móvel exponencial de 21 períodos, linha vermelha no gráfico, temos os vendedores no comando.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Tela vermelha

Bolsas mundo afora trabalhando em baixa.

Mesmo com mudanças de regra no IOF, o dólar não cai de forma expressiva, sinal de força compradora.

Não seria uma surpresa a moeda fechar em alta no pregão de hoje.

Mercado reage com vendas ao discurso de Mantega.

PMI se serviços subiu para 58,1 em maio, de 55 em abril nos Estados Unidos.

Vamos ver como os investidores precificarão o indicador, uma vez que as bolsas americanas estão nas alturas, região de máxima histórica.

Por outro lado, indicadores de emprego e o déficit comercial de abril vieram piores que o esperado por lá.

Na agenda do dia, teremos estoques de petróleo às 11h30 e livro bege às 15h00 nos EUA.

No Brasil, a expectativa fica por conta do fluxo cambial, às 12h30.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 3 de junho de 2014

Botão de venda acionado no exterior


Europa trabalha em baixa.

Metais seguem o mesmo caminho.

Idem para os futuros americanos.

Taxa de desemprego na Zona do Euro caiu para 11,7% em abril, menos nível desde outubro de 2012.

Na agenda do dia destaque para as encomendas às fábricas nos EUA às 11h.

Ontem o dólar teve uma importante trajetória ascendente e rompeu 2.288, uma importante resistência.

Se hoje tiver forças para diminuir as perdas dessa manhã e voltar a romper e fechar acima desse ponto, poderá ser um sinal de saída de fluxo externo, numa queda de braço com o Banco Central.




Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 2 de junho de 2014

PMI chinês anima as bolsas mundiais, e o Brasil?


Mercados agitados nessa manhã.

Colaboram para o fato o PMI chinês, relatório FOCUS divulgado há pouco no Brasil e CPI da Alemanha.

Metais básicos em campo positivo.

PMI industrial da Zona do Euro caiu para 52,2 em maio, de 53,4 em abril, previsão 52,5.

Veremos com o dólar vai reagir.

Será um termômetro para o fluxo financeiro que tem sido o fator determinante para o rumo da bolsa no curto prazo.

Na agenda do dia ainda teremos a balança comercial no Brasil às 15h e nos Estados Unidos gastos públicos e privados decorrentes da construção de imóveis e ISM Index às 11h.

Ibovespa fechou na mínima da sessão na sexta-feira e perdeu um importante suporte em 51.870.

Expectativa de baixa rumo a 50.775.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan