quarta-feira, 30 de abril de 2014

Fluxo Cambial

A importância do fluxo financeiro tem crescido gradualmente para o mercado doméstico.

Cada vez mais os investidores estrangeiros aumentam a participação nos negócios à vista e futuro no Brasil.

Semana passada, entre os dias 22 e 25 de abril, o fluxo cambial total foi negativo em US$ 2,058 bilhões.

No segmento financeiro ficou negativo em US$ 2,475 bilhões e no comércio exterior positivo em US$ 417 milhões.

O mercado continua com viés negativo nessa quarta-feira.

No resumo a seguir percebemos o viés negativo pelo número maior de ações em baixa:



Wagner Caetano
Cartezyan

2° dia de reunião do FED

No dia que será divulgada a política de juros norte-americana, onde o foco estará mais nos dizeres e na decisão sobre a compra de bônus, que vai impactar diretamente o dólar no Brasil, bolsas trabalham de forma mista no exterior.

Outra variável que tem sido determinante para o mercado doméstico é o fluxo cambial, indicador amplamente aguardado e capaz de mudar a direção do mercado nas últimas semanas, ou fortalecer e acelerar tendências.

Conheceremos esses números às 12h30.

Índice de atividade industrial (ISM Chicago) subiu a 63 em abril, previsão de 57, mantendo as bolsas americanas em território levemente positivo.

Vale destacar que o setor privado nos EUA criou 220 mil empregos em abril, ante previsão de +210 mil e que o PIB cresceu 0,1% no 1°TRI, previsão de + 1,1%.

Ibovespa precificando balanços de: Embraer, Porto Seguro e Vale.

Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 29 de abril de 2014

Nova pesquisa eleitoral


Após nova pesquisa eleitoral apontar queda de popularidade da presidenta Dilma e possibilidade de segundo turno, ações disparam e elevam o Ibovespa.

Vale destacar que Santander (SANB11) apresenta alta de cerca de 17% e lidera a escalada.

Nos EUA a confiança do consumidor caiu para 82,3 em abril, previsão de 83.

Novamente perto das máximas históricas bolsas norte-americanas apresentam uma força compradora mais contida.

Situação mais amena na Ucrânia e CPI da Alemanha impulsionam bolsas no velho continente.

Hoje temos o 1° dia de reunião do FED nos Estados Unidos.

No Brasil, dólar marcou mínima em 2.209,50 e mostrou entrada compradora na região.

Estamos descolados a maior parte do tempo do exterior, portanto olho vivo no cenário político e nos balanços corporativos.

Santander opera com alta de 16,25% no momento, movimento impressionante conforme mostra o gráfico abaixo, com um GAP incomum:



Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Ibovespa na contramão

Mercado doméstico inicia a semana em queda, no sentido oposto ao exterior, que vive uma manhã de compras.

Teremos por aqui a balança comercial às 15h, o que deverá trazer mais volatilidade no período da tarde.

Resultados corporativos para hoje: Guararapes e Viavarejo.

Destaques: Ucrânia segue no radar, índice de atividade das empresas subiu 11,7 em abril de 4,9 em março nos EUA (FED Dallas), discurso de Mantega há pouco, Vale liderando perdas após decisão favorável na sexta-feira.

O Ibovespa ensaia uma tendência de baixa no curto prazo.

A decisão ficará em 49.890, mínima do dia 15/04 que poderá desencadear vendas generalizadas (SELL OFF) se perdido.

A expectativa é que esse ponto seja testado ainda essa semana.


Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Ucrânia novamente no radar

Investidores estrangeiros atuaram na venda no pregão de ontem, diminuindo o saldo comprado de 75.268 para 72.715 contratos de índice futuro.

Resultados corporativos para hoje: Hypermarcas e Tractebel.

Alta do dólar e queda das ações refletem aversão ao risco por tensões na Ucrânia.

Rússia teve seu rating rebaixado e faz exercícios militares na região de fronteira.

Petrobras, Vale e Banco do Brasil pressionam o mercado doméstico.

Destaques para hoje: Michigan Sentiment subiu para 84,1 em abril nos EUA, previsão de 83, sinais de enfraquecimento do setor bancário chinês, que fez com que o SSECO fechasse em baixa de 1%.

Para o Ibovespa, podemos verificar no gráfico a seguir que nos 4 pregões dessa semana tivemos mínimas mais baixas sucessivamente.

Com o mercado trabalhando em patamares inferiores a 51.870, temos os vendedores no comando.

O mais provável serão mais alguns pregões de baixa, para testar um ponto decisivo para o curto prazo: 49.890, onde haverá decisão entre alta ou baixa para a nossa bolsa.


Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Crise na Ucrânia derruba bolsas

Após altas expressivas no início da manhã, bolsas mundo afora viraram e trabalham em baixa.

aumento das tensões na Ucrânia foi o catalisador.

Após marcar mínima em 2.218, o dólar tomou fôlego e trabalha em alta no Brasil.

Balanços no mercado doméstico e Estados Unidos agitam as cotações.

Ontem os investidores estrangeiros trabalharam na venda do índice futuro, diminuindo o saldo comprado de 77.901 para 75.268 contratos.

Pedidos de auxílio desemprego nos EUA subiram para 329 mil, previsão 315 mil.

No Expectro de Mercado percebemos que os bancos evitam uma queda maior do Ibovespa:


Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 23 de abril de 2014

PMI da China derruba as bolsas

Bolsas européias e mercado doméstico trabalham em leve queda, sob efeito do PMI industrial chinês, medido pelo HSBC, que subiu de 48 em março para 48,3 em abril, porém leitura abaixo de 50 indica contração.

Balanços de empresas norte-americanas estarão no radar dos investidores, especialmente nesse momento que o Dow Jones está próximo da máxima histórica mais uma vez.

Saberemos os números de gigantes como Facebook e Apple, por exemplo.

Na agenda do dia conheceremos o número de casas novas com compromisso de venda nos EUA às 11h e mais tarde, às 11h30, os estoques de petróleo.

No Brasil, o aguardado fluxo cambial será divulgado às 12h30 e será decisivo para a tendência de curto prazo do dólar.

Chama a atenção a semelhança do gráfico da Petrobras (PETR4), que capitaneou o movimento de alta do curto prazo e do míni-índice futuro (WINM14):



Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 22 de abril de 2014

Pregão pós-Páscoa


No pregão que teria tudo para ser morno e defensivo, o ingrediente principal é volatilidade.

vencimento das opções sobre ações é o catalisador e poderá definir o rumo do mercado doméstico no curto prazo.

Balanços corporativos agitam as bolsas norte-americanas.

Na agenda do dia, teremos como destaque a balança comercial no Brasil às 15h e a sondagem industrial PMI na China (HSBC) às 22h45.

Ibovespa precificando também a pesquisa para a corrida eleitoral divulgada na quinta-feira após o fechamento do pregão (Ibope).

Vale citar indicadores econômicos divulgados há pouco: índice de confiança do consumidor na Zona do Euro subiu para – 8,7 em abril, vendas de moradias usadas nos EUA caíram 0,2% em março, previsão de-7 e índice de atividade regional do FED Richmond subiu a 7 em abril, de -7 em março.

Se o dólar trabalhar acima de 2.250 e fechar sobre esse ponto no pregão de hoje, terá forças para buscar 2.304 no curto prazo.

Poderá ser uma pista sobre o fluxo de recursos.




Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Vox Populi

Bolsas européias e futuros americanos positivos.

Tensões na Ucrânia permanecem no radar dos investidores, porém as baixas recentes abrem oportunidades de compra no velho continente.

Nos EUA, os balanços do Goldman Sachs e Morgan Stanley agitam o pré-mercado e os pedidos de auxílio desemprego subiram para 304 mil.

Premiê da China descartou novamente fortes estímulos à economia.

Hoje teremos um pregão agitado, pois no Brasil voltaremos a operar somente na terça-feira, dia 22 de abril, quando vencem as opções sobre ações.

No mercado doméstico, foco na pesquisa Vox Populi, que aponta vitória da presidenta Dilma no 1° turno, porém com queda de popularidade e aumento da rejeição.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Vencimento do Índice Futuro


Nessa quarta-feira temos vencimento dos contratos futuros do Ibovespa, migrando a liquidez dos contratos J14 para M14.

Ontem os investidores estrangeiros atuaram na venda, talvez pela proximidade do feriado, por causa do fluxo, receio com novas pesquisas eleitorais?

A única certeza é que estamos na contramão, eles diminuíram de 77.266 para 64.733 o saldo comprado.

Amanhã, de acordo com a rolagem para o vencimento M14, teremos uma sinalização para o curto prazo.

No Brasil a volatilidade extra fica por conta do IGP(M), IPC(S) e IBC-Br divulgados logo cedo.

Ainda teremos o fluxo cambial às 12h30.

Nos Estados Unidos, grande expectativa quanto ao Livro Bege, agendado para às 15h.

Seguem no radar dos investidores crise na Ucrânia e dados chineses, especialmente o PIB do 1° trimestre, com alta de 7,4% ante previsão de + 7,3%.

O gráfico do míni-contrato de dólar mostra saída de fluxo financeiro do Brasil nos últimos pregões, porém somente acima de 2.250 a moeda se anima e buscará patamares mais altos.



Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Volatilidade no ar: feriado e vencimento do índice futuro


Bolsas mundiais oscilando entre terreno positivo e negativo nessa manhã.

Tensões na Ucrânia continuam no radar dos investidores.

Na Europa e Estados Unidos temos força vendedora dominante e em algumas bolsas tendência de baixa para o curtíssimo prazo.

No Brasil, pelo menos por enquanto, estamos na contramão, por assimetria, ou seja, chance de perder pouco e ganhar muito nas posições compradas.

Enquanto estiver subindo os robôs e investidores atrasados irão às compras, seguindo a manada.

Vendas na varejo foram divulgadas às 9h30 nos EUA e mostraram crescimento de 1,1% em março ante fevereiro, previsão de + 0,8%.

Relatório Focus divulgado às 8h30 mostrou, dentre outros dados, queda da produção industrial no Brasil de 1,5% para 0,7% em 2014.

Na agenda do dia teremos o nível de vendas e de estoques das indústrias e dos setores de atacado e varejo nos EUA às 11h e a balança comercial no Brasil às 15h.

Vale destacar que o índice futuro, contrato J14, vai vencer na próxima quarta-feira, dia 16 de abril.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Investidores estrangeiros atuaram na venda no pregão de ontem, diminuindo o saldo comprado de 77.001 para 76.105 contratos do índice futuro, lembrando que iniciaram a semana com saldo comprado de84.643, o que mostra a importância do fluxo externo nos movimentos de curto prazo.

Na agenda do dia teremos o PPI nos Estados Unidos, índice de preços no atacado, às 9h30 e mais tarde, às 10h55, o Michigan Sentiment, que mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana.

Estarão no radar dos investidores: CPI e PPI da China, baixa generalizada na Ásia, CPI de países europeus, balanço do JPMORGAN (8h) e WELLS FARGO (9h).

Bolsas do velho continente trabalham em forte baixa às 7h10 desta manhã, com destaque para o índice DAX que perde 1,46%.

No gráfico abaixo do dólar futuro, contrato WDOK14, percebemos a moeda sobrevendida e um entrada compradora no pregão de ontem, formando um par de candlesticks de reversão, quase um enfolfo de alta, não fosse a sombra de ontem.

De qualquer forma, uma trajetória altista da moeda, terá como alvo imediato 2.250 e será um sinal de saída capital firme, uma vez que o BC está segurando o dólar como uma das armas de controle de inflação.

Veremos até onde dura o fôlego.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Fim do aperto monetário no Brasil?

Bolsas européias e futuros americanos trabalhando de formam mista.

No Brasil o mercado futuro trabalha com volatilidade, a alta do dólar chama a atenção.

Com os dados do fluxo cambial de ontem, aumentam as apostas de mais alguns dias de baixa para o mercado doméstico.

Ata do Copom divulgada mais cedo indica o fim do aperto monetário no Brasil, vamos ver como os investidores irão reagir.

Estrangeiros continuaram vendendo ontem e diminuíram o saldo comprado no índice futuro de 78.059 para 77.001 contratos.

Na agenda do dia destaque para o orçamento do governo norte-americano às 15h.

Estarão no radar dos investidores: declarações da agência de risco Fitch sobre o Brasil, pedidos de auxílio desemprego nos EUA que caíram ao menor nível desde 2007, dados de importação e exportação da China, bem abaixo do esperado.

A expectativa é de um pregão de forte baixa para as ações e alta para o dólar.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Realização de lucros ou baixa pela frente?

Investidores estrangeiros reduziram no pregão de ontem o saldo comprado no índice futuro de 84.643 para 78.059.

forte baixa, na contramão de NY, foi iniciada quando o ex-presidente Lula entrou de vez na campanha presidencial, dizendo que não será candidato e dando apoio à presidenta Dilma.

Acelerou quando o FMI reduziu a projeção do PIB para o Brasil.

Na agenda do dia teremos o fluxo cambial às 12h30, crucial para um mercado doméstico dominado por estrangeiros.

Nos Estados Unidos vendas e estoques de atacado às 11h00, estoques de petróleo às 11h30 e Ata do FOMC 15h00.

Estarão no radar dos investidores hoje: tensões na Ucrânia, novo imposto no setor financeiro na China e IPCA de março.

Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 8 de abril de 2014

Rali


A grande incógnita do mercado doméstico é o motivo da alta recente: Bovespa atrasada em relação à China e África do Sul, ações baratas e algumas abaixo do valor patrimonial, pesquisas eleitorais, fluxo vindo da Rússia por causa da crise na Ucrânia?

Diversas hipóteses correm pelas casas de análise, bancos, mesas de corretagem, fóruns e afins.

Coincidência ou não, quando o ex-presidente Lula negou que será candidato o mercado realizou com volume expressivo.

Ele entrou de vez na briga após silêncio profundo.

Na Europa temos topo confirmado e queda à vista.

Nos EUA fala-se em bolha ponto.com.

O que interessa é o Brasil, como ficamos?

Descolados do mundo, nosso mercado tem vida própria de fato.

Observando a imagem do Ibovespa, os gráficos sugerem que os investidores coloquem o lucro recente no bolso, pelo menos uma boa parte.

Temos uma forte entrada vendedora no pregão dessa terça-feira e se houver perda de 51.870 mais stop loss serão acionados, daí o mercado vai mergulhar rumo aos 50.000.



Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 7 de abril de 2014

DATAFOLHA VS Queda no exterior


Futuros americanos e Europa com quedas expressivas.

Alcoa abre a temporada de balanços nos EUA, que costuma agitar os mercados.

Bolsas ainda refletem relatório de emprego divulgado sexta-feira.

No mercado doméstico, investidores precificam pesquisa DATAFOLHA divulgada no sábado sobre a corrida presidencial, além do relatório Focus que saiu nessa manhã.

Na agenda do dia teremos a balança comercial às 15h no Brasil e crédito ao consumidor às 16h nos EUA.

míni-índice futuro mostra sinal de cansaço da força compradora, porém queda expressiva somente com a perda de 51.155, com alvo imediato em 49.680.


Bons negócios!

Wagner Caetano

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Payroll em foco

Corroborando com o fluxo Financeiro negativo da última semana de março, investidores estrangeiros continuam vendendo contratos de índice futuro.

Ontem diminuíram o saldo comprado de 66.574 para 63.926.

Agenda do dia vazia no Brasil, com os holofotes voltados para a pesquisa sobre a corrida presidencial que será divulgada amanhã e para o relatório de emprego que será divulgado nos Estados Unidos, o Payroll.

Bolsas européias majoritariamente em alta.

Bolsas norte-americanas sinalizaram indecisão nas máximas históricas no pregão de ontem.

Vale destacar que a Fitch manteve o rating da China em “A+” com perspectiva estável e que houve um segundo calote no mercado de bônus chinês, por uma empresa de construção.

relatório de empregos vai guiar as bolsas ao redor do mundo nessa sexta-feira.

Como o foco é lá fora, segue o gráfico do Dow Jones, uma vez que o Ibovespa está mais colado com o mercado norte-americano nos últimos pregões.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 3 de abril de 2014

Pregão decisivo


Investidores estrangeiros atuaram na contramão no pregão de ontem.

Venderam expressivos 5.566 contratos de índice futuro.

Europa trabalhando de forma mista e bolsas norte-americanas em baixa, destacando que bateram patamares recordes no pregão de ontem, máximas históricas.

No pregão de hoje estão no radar: PMI de serviços chinês, terremoto no Chile, por causa dos metais, PMI e vendas do varejo da Zona do Euro, estímulos na China, pedidos de auxílio desemprego nos EUA, que subiram para 326 mil, discurso de Draghi e FMI, PMI do setor de serviços no Brasil que subiu a 51 em março e a precificação da taxa de juros.

caminho mais natural, indicado pelo fundamentos e gráfico, são alguns dias de correção.

Temos dois cenários possíveis: forte entrada vendedora no Brasil acompanhando uma correção das bolsas norte-americanas ou uma correção técnica para tomar fôlego e continuar a alta.

De qualquer forma somente na próxima semana será possível saber o rumo do mercado doméstico no curto prazo.

Para o curtíssimo espera-se uma queda até pelo menos 49.500 conforme mostra o gráfico.



Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 2 de abril de 2014

2° dia de reunião do Copom


Europa alternando entre altas e baixas.

Nos Estados Unidos, teremos um pregão decisivo, após máxima histórica no SP500.

PIB do 4°TRI/13 ante 3°TRI/13 foi revisado para + 0,2% ante + 0,3%.

Notícias de que a China tomará pequenas medias para estimular a economia evitam queda das bolsas mundiais, fonte rádio estatal.

Cobre em alta por causa do terremoto no Chile.

Dados do IBGE divulgados e discurso de Mantega há pouco serão precificados durante o pregão, com foco na produção industrial.

Setor privado dos Estados Unidos criou 191 mil empregos em março, previsão de + 200 mil.

Na agenda do dia ainda teremos encomendas às fábricas nos EUA às 11h e estoques de petróleo às 11h30.

No Brasil, o esperado fluxo cambial às 12h30.

Vale destacar  a alta firme do dólar, variável importante por causa do fluxo externo.


Wagner Caetano
Cartezyan