quinta-feira, 13 de março de 2014

Mantega recebe S&P em Brasília


Ontem tivemos um pregão travado, com alguns setores em forte alta, como elétricas e outros em baixa, como os bancos.

Hoje esperamos um pregão de melhor definição, sendo que a região de 46.100 no Ibovespa continua sendo o divisor de águas, ponto decisivo para o curto prazo.

Além de termos dois fundos marcados em fevereiro por ali, agora a média móvel exponencial de 5 períodos colou na área.

Por um lado teremos forte resistência, por outro o rompimento e consolidação acima desse patamar poderá projetar o mercado em 47.160.

Futuros americanos e Europa em leve alta às 7h43.

Estrangeiros comprados em 47.799 contratos de índice futuro.

Na agenda do dia teremos pedidos de auxílio desemprego, preços de importação e exportação, além das vendas totais do setor varejista às 9h30 nos EUA e depois o nível de vendas e de estoques das indústrias e dos setores de atacado e varejo com base no mês vigente às 11h.

Conheceremos nessa quinta-feira os balanços corporativos de: Dufry, Fleury, MRV, Randon, Taesa e Trisul.

Vale destacar a visita da agência S&P à Brasília e uma rodada de indicadores chineses decepcionantes essa madrugada.

Produção industrial e vendas no varejo cresceram menos que o esperado.

Como estamos mais colados à China do que à Europa e Estados Unidos, veremos a reação dos papéis logo na abertura.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

Nenhum comentário:

Postar um comentário