segunda-feira, 31 de março de 2014

Último pregão de março – Investidores embolsando lucros

Hoje o mercado comemora um mês de excelente rentabilidade para a renda variável.

Mesmo com rebaixamento e menor projeção do PIB, o mercado foi às compras, pois o P/L da bolsa está atraente e o botão foi acionado quando houve sinais de um possível segundo turno nas eleições presidenciais.

Há pouco tivemos um pronunciamento de Janet Yellen, que certamente vai impactar as negociações para o restante do dia, juntamente com a atividade industrial de Chicago, que caiu 55,9 em março, previsão de 60.

Dow Jones perdeu força e trabalha longe da máxima da sessão (16.480).

Notamos que o mercado doméstico tem seguido mais de perto as bolsas norte-americanas, talvez pelo fluxo estrangeiro que está positivo, os estrangeiros voltaram.

O mercado tem força compradora dominante, porém uma correção técnica, até mesmo para permitir que os compradores que ficaram de fora embarquem na recuperação do Ibovespa possam ir à compras é o cenário mais provável.

Na imagem traçamos retrações de Fibonacci entre o topo de outubro e o fundo de março.


Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 28 de março de 2014

Pregão para ficar na história


Ontem tivemos um pregão atípico, que certamente será utilizado para aulas, palestras e afins.

A rejeição ao atual governo é evidente.

A pesquisa divulgada ontem, sem citar os demais candidatos, revelando apenas a queda de popularidade da presidente Dilma, fez o mercado explodir.

Sorte dos comprados, azar dos vendidos.

Voltando à realidade, o mercado deverá ter um pregão de alta do dólar e queda da bolsa, para realização de lucros e ajuste de posições.

A próxima semana que revelará o rumo do Ibovespa, que tem tudo para reverter.

O estudo abaixo mostra os possíveis suportes para uma correção técnica, por meio de retrações de Fibonacci.





Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 27 de março de 2014

A volatilidade está no ar

No pregão de ontem a maioria dos papéis sinalizou topo, com candles de reversão bastante claros.

Hoje abriu seguindo o caminho da venda.

Europa e Estados Unidos em baixa, com temores sobre a China, tensões na Ucrânia e FED.

Nem mesmo o PIB americano, que saiu às 9h30 foi capaz de animar os mercados.

No Brasil, entretanto, os negócios são um caso a parte.

Pesquisa CNI/Ibope que mostra aumento de reprovação do governo Dilma elevou as cotações.

Somente os desdobramentos do pregão de hoje poderão sinalizar de forma concreta os rumos da Bovespa.

O caminho mais natural seriam ordens de venda a patamares mais altos, com fechamento perto da estabilidade.

Abaixo segue o gráfico do Ibovespa, que ontem montou um candle chamado estrela cadente, com grande potencial de queda.

A mínima dos três últimos pregões foi na região de 48.000, portanto esse é o divisor de águas entre a força compradora (touros) e vendedora (ursos).


Bons Negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 26 de março de 2014

Mapa do setor bancário


Bancos evitando uma queda relevante do Ibovespa.

Ontem tivemos rebaixamento de 13 instituições financeiras no Brasil pela agência S&P, incluindo gigantes como Santander, Banco do Brasil, Itaú e Bradesco.

Curiosamente são essas instituições que sobem de forma expressiva.




Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 25 de março de 2014

O rebaixamento pela agência S&P estava ou não precificado? Eis a questão!


Mercado enigmático.

Volátil e movimentado.

Estrangeiros foram os grandes responsáveis pela alta recente da bolsa, comprando tudo o que viam pela frente.

O reflexo disso são os contratos de índice futuro, onde acumulam um saldo comprado de 67.473.

Com o rebaixamento do Brasil pela agência S&P, que querendo ou não pegou o mercado de surpresa, eles vão decidir se a alta continua ou se voltamos ao domínio dos ursos.

Agenda do dia vazia no Brasil, excluindo os desdobramentos do rebaixamento, certamente o assunto do pregão.

Vale destacar que o rebaixamento individual de empresas já começou, sendo Petrobras e Eletrobras as primeiras.

Nos EUA teremos, às 11h00, confiança do consumidor e números de casas novas com compromisso de venda.

Contra fatos não há argumentos: o Brasil pagará mais caro para captações externas.

O pregão de hoje será um termômetro se o fato estava ou não precificado.

O gráfico do dólar mostra a moeda tocando e respeitando uma região de suporte em 2.318.


Bons negócios.

Wagner Caetano
Cartezyan

segunda-feira, 24 de março de 2014

China guia as bolsas mundiais


Europa em baixa generalizada.

PMI da China (HSBC) mostrou contração mais uma vez.

Bolsas americanas operando próximas da estabilidade, porém com sinal de topo no gráfico diário.

Um sinal de entrada vendedora no Brasil seria o dólar subir gradativamente, olho vivo.

Por aqui, fundamentos apontam cansaço da força compradora, porém a bolsa brasileira “barata” e vendidos zerando posição alimentam um mercado comprador de curtíssimo prazo.

A farra vai acabar de o índice perder 47.500.

Segue abaixo imagem do Dow Jones, que mostra uma estrela cadente montada na sexta-feira.

Se hoje foi um dia de baixa por lá, mesmo que moderada, teremos correção.


Wagner Caetano
Cartezyan

sexta-feira, 21 de março de 2014

Política guia mercado doméstico


Investidores estrangeiros iniciam a semana comprados em 58.841 contratos de índice futuro.

Agenda do dia vazia.

O foco no Brasil é a pesquisa Ibope para as eleições presidenciais divulgada ontem.

Tivemos forte alta de empresas estatais sob o boato de que a presidenta Dilma havia perdido expressivos pontos na corrida eleitoral, com crescimento da oposição.

Porém quase nada mudou oficialmente.

Europa trabalhando de forma mista com viés de alta.

Bolsas norte-americanas com valorização modesta, na esteira da manutenção de rating pela agência Fitch.

No Brasil abrimos em forte baixa, com posterior recuperação, mais uma vez fazendo suporte na região de 46.540 no índice futuro.

pregão de hoje será decisivo para o Ibovespa no curto prazo, pois a imagem abaixo mostra que temos as médias móveis exponenciais de 5 e 21 períodos cruzadas para venda desde novembro de 2013.


Wagner Caetano
Cartezyan

Último pregão da semana

Bolsas mundiais sobem nessa manha juntamente com os metais básicos.

Testes de stress em 30 bancos norte-americanos foram bem avaliados pelo mercado.


Lá fora a compra ainda prevalece.


Como não poderia ser diferente, abrimos em forte baixa, na contramão.


A justificativa seriam as pesquisas eleitorais.

Como havia uma expectativa de crescimento da oposição estatais subiram forte boa últimos três pregões, porém ontem o Ibope mostrou o quadro inalterado.


Petrobras, Eletrobras e Banco do Brasil estarão no radar dos investidores devido ao peso que imprimem ao índice.


Bons negócios!



Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 20 de março de 2014

O dia depois do FED


Bolsas asiáticas fecharam em forte queda.

Destaque para a China, com desvalorização de 1,4%.

Na Europa tudo vermelho, queda generalizada.

Frankfurt recua 1,24% às 8h15 (horário de Brasília).

Futuros americanos em baixa.

Na agenda do dia destaque para o PIB  mensal/Serasa Experian às 10h00 no Brasil e nos EUA teremos pedido de auxílio desemprego às 9h30, vendas de imóveis usados e leading indicators às 10h00.

Investidores estrangeiros comprados em 57.666 contratos de índice futuro.

Cobre recua forte sob efeito Janet Yellen.

Ucrânia continuará no radar dos investidores.

Os ingredientes para um pregão de baixa no Brasil já estão separados.

O ponto que vai sinalizar o rumo dos negócios é 46.540 no índice futuro.

Inicialmente com alvo em 46.000.

No Ibovespa à vista o ponto é 46.100 (divisor de águas entre ursos e touros).




Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 19 de março de 2014

Reunião do FED gera expectativa nos mercados


Investidores estrangeiros apertaram o botão de compra na sessão de ontem.

A alta foi firme e hoje teremos um pregão decisivo.

Se fraquejar e voltar a cair, a alta será somente um vôo de galinha a tendência de baixa vai persistir.

Vejam na imagem abaixo o míni-índice futuro por “dentro”.



Esse gráfico é intraday, 60 minutos.

Nele percebemos o fechamento em uma forte resistência, a região de 46.540, que foi fundo duas vezes em fevereiro.

Os gringos aumentaram a posição comprada de 40.577 para 50.372 contratos de índice futuro.

Na agenda do dia teremos o IGP(M) às 8h00 e o aguardado fluxo cambial às 12h30.

Nos EUA estoques de petróleo às 10h30 e o anúncio da decisão do FED às 17h00.

O foco será no ritmo da redução de estímulos, naturalmente.

Desdobramentos na Ucrânia continuarão no radar.

Vale citar que a China anunciou que pretende aumentar a produção doméstica de minério de ferro.

Além disso veremos como o mercado vai precificar o índice de sentimento das empresas no gigante asiático, divulgado essa noite.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 18 de março de 2014

Tensões na Ucrânia e 1° dia do FED agitam os mercados


Futuros americanos e bolsas européias operam em baixa às 7h30 dessa terça-feira.

Investidores estrangeiros comprados em 40.577 contratos de índice futuro.

Hoje teremos o 1° dia da reunião do FED nos Estados Unidos, o que deverá aumentar a volatilidade do mercado.

Por lá conheceremos o número de casas que começam a ser construídas e o número de autorizações para construir imóveis novos às 9h30.

Nesse mesmo horário será divulgado o CPI, o índice de preços ao consumidor.

Dando seqüência a temporada de balanços na Bovespa teremos hoje os números trimestrais de Brasil Brokers, Ecorodovias, Helbor e Kroton.

Vale destacar que o índice ZEW de expectativas econômicas caiu a 46,6 em março, previsão de 52,0 e que a Zona do Euro teve superávit comercial de 900 milhões de euros em janeiro.

No radar dos investidores as tensões na Ucrânia, com grande expectativa para as reações de Putin relativas às sansões econômicas.

No gráfico abaixo podemos observar o contrato futuro de dólar em um ponto decisivo, um divisor de águas: 2.361.



Bons negócios!

Wagner Caetano

segunda-feira, 17 de março de 2014

Destaques


Bolsas mundiais e metais em repique, após baixa relevante.

Criméia continuará no radar dos investidores após o referendo realizado ontem, onde a população aprovou a incorporação ao território russo.

Por um lado o mercado gostou do relatório Focus divulgado às 8h30.

Por outro o Morgan Stanley reduziu a projeção do crescimento do PIB de 1,9% para 1,5% em 2014.

Balança Comercial que será divulgada às 15h será o fiel da balança.

Produção industrial norte-americana subiu 0,6% em fevereiro, projeção de + 0,1%, mantendo as bolsas locais em forte valorização.

Por enquanto a alta não tem consistência, sendo um movimento de vendidos cobrindo parcialmente posições.

Abaixo temos um estudo das ações que estão “puxando” o repique no mercado doméstico.





Wagner Caetano
Cartezyan

Repique Mundial


Bolsas mundiais repicam após mais uma semana de desvalorização.


Na sexta-feira os investidores estrangeiros diminuíram a posição comprada no índice futuro de 42.789 para 38.836 contratos.


Hoje teremos no Brasil o vencimento dos contratos de opções.


Na agenda econômica destacamos o relatório Focus 8h30 e a balança comercial 15h.


Nos EUA teremos a atividade manufatureira de NY 8h30 e a produção industrial 9h15.


Balanços corporativos programados para hoje: Anhanguera, BHG, Copel, CSU, Direcional, Energisa, Eternit, Qualicorp e Raia Drogasil.



Bons negócios!



Wagner Caetano
Cartezyan


sexta-feira, 14 de março de 2014

Siderurgia evita um tombo maior do Ibovespa

Com exceção da bolsa de Frankfurt (Dax), Europa trabalha com viés de baixa.

Nos Estados Unidos o mercado está em leve desvalorização.

Mercado doméstico cai em mais uma sessão, sendo que a queda está sendo contida pela fortíssima valorização do setor siderúrgico.

CSN anunciou um programa de recompra de ações de até 9,99% das ações em circulação no mercado.

As operações poderão ser realizadas entre 14 de março e 14 de abril de 2014.

O papel lidera a alta do setor subindo 12,44%.

Na Ásia tivemos baixa generalizada.

referendo na Ucrânia é a bola da vez no exterior.

Tóquio perdeu 3,3% na sessão dessa madrugada.

Segue gráfico do Ibovespa, que testa suporte na região de 45.200.

Se fechar abaixo desse ponto hoje abrirá caminho rumo a 44.100mínima de 2013.


Wagner Caetano
Cartezyan

Suspense no último pregão da semana

Investidores estrangeiros iniciam essa sexta-feira comprados em 42.789 contratos de índice futuro, ante uma posição anterior de 47.799.

Ontem temores com a presença da agencia S&P juntamente com o mau humor externo detonaram ordens de venda.


A queda foi parcialmente contida por causa da forte alta do setor elétrico, que aguardava decisões que saíram logo após o pregão com grande expectativa.


Veremos como será o impacto dessa decisão no pregão de hoje.


Na agenda do dia destaque para o PPI, índice de preços no atacado, cobrado pelos produtores 9h30 nos EUA e mais tarde o Michigan Sentiment, índice que mede a confiança dos consumidores na economia norte-americana 10h55.


Hoje conhecermos os balanços corporativos de Alpargatas, Metal Leve, Renar e Suzano.


Aversão ao risco permanece antes de referendo na Ucrânia.


Europa segue em baixa.



Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quinta-feira, 13 de março de 2014

Mantega recebe S&P em Brasília


Ontem tivemos um pregão travado, com alguns setores em forte alta, como elétricas e outros em baixa, como os bancos.

Hoje esperamos um pregão de melhor definição, sendo que a região de 46.100 no Ibovespa continua sendo o divisor de águas, ponto decisivo para o curto prazo.

Além de termos dois fundos marcados em fevereiro por ali, agora a média móvel exponencial de 5 períodos colou na área.

Por um lado teremos forte resistência, por outro o rompimento e consolidação acima desse patamar poderá projetar o mercado em 47.160.

Futuros americanos e Europa em leve alta às 7h43.

Estrangeiros comprados em 47.799 contratos de índice futuro.

Na agenda do dia teremos pedidos de auxílio desemprego, preços de importação e exportação, além das vendas totais do setor varejista às 9h30 nos EUA e depois o nível de vendas e de estoques das indústrias e dos setores de atacado e varejo com base no mês vigente às 11h.

Conheceremos nessa quinta-feira os balanços corporativos de: Dufry, Fleury, MRV, Randon, Taesa e Trisul.

Vale destacar a visita da agência S&P à Brasília e uma rodada de indicadores chineses decepcionantes essa madrugada.

Produção industrial e vendas no varejo cresceram menos que o esperado.

Como estamos mais colados à China do que à Europa e Estados Unidos, veremos a reação dos papéis logo na abertura.


Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

quarta-feira, 12 de março de 2014

Curso Técnicas de Day-Trade para o Mini Ibov


Mar vermelho

Bolsas asiáticas fecharam em queda.

Na Europa tudo vermelho.

Futuros americanos em desvalorização.

Os fatores de risco são: metais  e petróleo em baixa, Ucrânia, China e tapering nos Estados Unidos.

Investidores estrangeiros comprados em 45.811 contratos de índice futuro.

Na agenda do dia teremos o IGP(M) às 8h e o IPCA às 9h aqui no Brasil.

Mais tarde, às 12h30, o esperado fluxo cambial, raio-x dos movimentos de curto prazo, pois nossa bolsa está com forte penetração estrangeira.

Nos EUA, estoques de petróleo às 11h30 e orçamento do governo às 15h.

Balanços programados para hoje: B2W, CCR, Fras-Le, Lojas Americanas, Nutriplant, SLC e Tempo Participações.

Produção industrial da Zona do Euro foi divulgada há pouco, queda de 0,2% janeiro/dezembro, previsão +0,5%.

Segue gráfico do míni-contrato futuro WINJ14, que mira 44.795 para o curto prazo.





Bons negócios!

Wagner Caetano
Cartezyan

terça-feira, 11 de março de 2014

Produção Industrial VS Exterior


Bolsa e dólar patinando.

Dólar acima de 2.361 é compra.

Bolsa abaixo de 46.100 é venda.

Curiosamente esses pontos foram testados como suportes e resistências no pregão de hoje e respeitados.

Bolsas européias em direções mistas.

Futuros americanos em queda.

Produção industrial no Brasil anima um pouco alguns setores, porém cautela com exterior, especialmente com as atenções voltadas para China e Ucrânia impedem uma recuperação firme.


Wagner Caetano
Cartezyan

Vendas generalizadas

Ontem as bolsas tiveram um dia de queda generalizada.

No Brasil não foi diferente.


Ações abaixo do valor patrimonial, porém a aversão ao risco continua e os vendedores permanecem no comando.


Investidores estrangeiros venderam expressivamente, diminuindo o saldo comprado de 49.606 para 41.894 contratos de índice futuro.


Na agenda do dia destaque para as vendas e estoques de atacado do setor varejista norte-americano 11h.


Hoje teremos balanços corporativos da Mills, Minerva e Vigor.


Serão monitorados de perto pelos investidores crise na Ucrânia e novidades sobre a economia chinesa, que lembramos ter forte impacto no Brasil, com especial destaque em siderurgia e mineração.


Bons negócios!


Wagner Caetano
Cartezyan